Mais recentes Rosto

Cosméticos tecnológicos com células-tronco na composição chegam ao Brasil

14 de março de 2018

A marca Augustinus Bader Skincare é amada por celebridades internacionais como Dakota Johnson e Carla Bruni

Que os cosméticos e a tecnologia andam cada vez mais lado a lado, a gente já sabe. A novidade do momento é que eles estão perto de nós, aqui mesmo, no Brasil. Isso porque a marca de skincare Augustinus Bader foi confirmada como um dos grandes lançamentos de beleza do próximo mês. Criada pelo professor e pesquisador homônimo que lidera estudos de biologia e tecnologia de células-tronco na Universidade de Leipzig, na Alemanha, os produtos prometem transformar a pele.

São apenas dois itens na linha: The Cream e o The Rich Cream. Eles funcionam simultaneamente para despertar a regeneração dos tecidos, graças ao TFC8 – o Trigger Factor Complex. Ele representa um complexo de aminoácidos, vitaminas e moléculas sintetizadas que foram integradas em concentrações ideais para alcançar o tipo certo de microambiente celular, entregando saúde para todos os tipos de pele – até mesmo as oleosas. “A pele está sempre se remodelando e os cremes são como ferramentas para que a própria pele conserte seus problemas”, disse Bader à Vogue.

Algumas diferenças marcam os dois produtos. O The Cream tem formulação leve e é adequado peles oleosas, mistas e normais, com tendência à acne ou inflamações. Ele reduz os danos causados por fatores externos. Já o The Rich Cream é rico em óleo de argan, abacate e prímula, e possui uma textura densa e cremosa, ideal para peles ressecadas. Em comum, ambos minimizam a aparência de rugas e linhas, além de uniformizar a tonalidade da tez.

agência epohke, pele, augustinus bader, facial, cuidados

Augustinus Bader (Divulgação)

O objetivo dos cosméticos é restaurar, regenerar e deixar a pele com um aspecto saudável – e é aí que entram as células-tronco. Após mais de 30 anos de estudo, Augustinus descobriu que a capacidade de renovação das células diminui devido a traumas e envelhecimento do organismo, por isso seria importante encontrar uma forma de “despertá-las”. O método que o pesquisador criou foi o ABC (“Activate”, “Boost” e “Commit”), que trabalha simultaneamente para despertar a regeneração dos tecidos. O que a princípio serviu como tratamento para pessoas vítimas de queimadoras graves, hoje é utilizado para tratar qualquer tipo de pele.

É claro que o resultado de tanta inovação e pesquisa não custa pouco. Na Europa e nos Estados Unidos, uma embalagem de 50 ml fica entre US$ 225 e US$ 300 (cerca de R$ 730 e R$ 975) – o preço no Brasil ainda não foi divulgado. De qualquer forma, vamos precisar esperar até o início de abril para ver de perto o produto. Você investiria?

Via: Voguel

Powered by Rock Convert